Governo do Estado do Rio Grande do Sul
Início do conteúdo

Saúde da Criança

O objetivo da Política Estadual da Saúde da Criança é desenvolver ações a partir de uma visão integral de promoção à saúde e prevenção de danos à criança, em todos os níveis de atenção, de forma humanizada, em tempo oportuno e com resolutividade, em conformidade com os princípios e as diretrizes do Sistema Único de Saúde (SUS). O conjunto das ações desenvolvidas contempla a diversidade das necessidades de saúde dos usuários, no âmbito etnicorracial, de gênero, de risco e vulnerabilidade. A Política de Incentivo Estadual à Qualificação da Atenção Básica em Saúde (PIES) destinou recurso financeiro aos municípios, utilizando, nos critérios, a proporção de crianças na população, isto é, 5% do recurso foi distribuído conforme o número de crianças do município.

Principais ações e parcerias:

  • Logística e controle de distribuição da Caderneta da Saúde da Criança, para todas as maternidades do Estado;
  • Teste do Pezinho - Triagem Metabólica Neonatal Universal, realizada entre o 3º e o 5º dia de vida do bebê: 93,5% dos recém-nascidos (RN) triados em 2013;
  • Teste da Orelhinha - Triagem Auditiva Neonatal Universal – Ação intersetorial entre Saúde da  Pessoa com Deficiência (DAHA), Saúde da Criança e PIM:  74,32% dos RN triados até julho de 2013;
  • Teste do Olhinho - Triagem Ocular Neonatal Universal - Realizada em todas as maternidades, em 100% dos RN;
  • Teste do Coraçãozinho - Triagem Cardiológica Neonatal Universal - Instituída em 2012, em fase de implementação nas maternidades;
  • Estímulo ao acompanhamento da criança através do cumprimento do calendário mínimo de consultas de puericultura preconizado pelo Ministério da Saúde;
  • Incentivo ao Aleitamento Materno através de ações como a Estratégia Amamenta e Alimenta Brasil, em parceria com a Política de Alimentação e Nutrição, para as unidades básicas de saúde,  Reavaliação das maternidades dos hospitais que receberam a  certificação de Hospital Amigo da Criança (16 hospitais no Estado);Apoio aos Bancos de Leite Humano e Estratégia Mulher Trabalhadora que Amamenta;
  • Realização de oficinas para identificação do risco em gestantes e crianças até 2 meses de vida, através da Atenção Integral às Doenças Prevalentes na Infância/AIDPI Neonatal em parceria com a Atenção Básica;
  • Incentivo Estadual para Ambulatório de Seguimento de Egressos de UTI neonatal, com 15 serviços habilitados nas 7 macrorregiões;
  • Disponibilização do Imunobiológico Palivizumabe, para prevenção de infecções respiratórias pelo Vírus Respiratório Sincicial, para bebês de acordo com os critérios: 1. Gestação abaixo de 29 semanas; 2. Cardiopatia Congênita com repercussão hemodinâmica; 3. Doença pulmonar crônica da prematuridade;
  • Reorganização dos leitos de cuidados intensivos e intermediários neonatais, para a qualificação da assistência neonatal;
  • Monitoramento da qualidade de atenção ao parto e ao nascimento, com a regionalização da atenção perinatal;
  • Vigilância do Óbito Infantil, visando a redução do coeficiente de mortalidade infantil no Estado. Em 2013, foram 1.486 óbitos de menores de 1 ano entre os 141.218 nascidos vivos (CMI =10,5);
  • Reuniões de trabalho com os municípios que apresentam os maiores Coeficientes de Mortalidade Infantil, visando a redução;
  • Instituição da Investigação de óbitos de menores de cinco anos em nível estadual.

Fones: (51) 3227-1176 - (51)3288-5906 - (51) 3288-5899

E-mail: saude-crianca@saude.rs.gov.br

 

Saiba Mais

Saúde da Criança e Aleitamento Materno - Ministério da Saúde

Saúde de Adolescentes - Ministério da Saúde

Por favor, aguarde até que o procedimento seja concluído.

Carregando
Matriz PROCERGS versão 2.0